Alunas da EM compartilham experiências da Marcha da Vida

Elas contaram aos colegas de série detalhes da viagem de 15 dias a Polônia e Israel

Nesta terça-feira, dia 20, as alunas Gabriela Botelho e Ana Luisa Granja, da 2ª série do Ensino Médio, compartilharam com os colegas suas impressões sobre a cultura e a história judaica. Elas participaram, no primeiro semestre, da Marcha da Vida, projeto do Colégio Liessin que, em parceria com o CSI, leva estudantes para Polônia e Israel a fim de manter viva a memória das vítimas do Holocausto e promover o diálogo inter-religioso.

Durante duas semanas, as jovens puderam conhecer mais a fundo o sofrimento dos judeus perseguidos e mortos pelo regime nazista. Em Varsóvia, visitaram guetos e campos de concentração, como Madjanek. Participaram de uma caminhada carregada de simbolismo e emoção entre os campos de extermínio Auschwitz 2 e 1, fazendo o caminho inverso das conhecidas “marchas da morte”, deslocamentos feitos por de milhares de judeus entre campos.

Ana e Gabriela visitaram ainda Zbylitowska Góra, cidade polonesa ocupada pelo exército alemão onde judeus foram assassinados em massa e enterrados em fossas coletivas. “Ali tudo está muito vivo e muito morto ao mesmo tempo”, destacou Gabriela.

Em Israel, conheceram “falashas” – judeus da Etiópia que, na década de 1990, foram levados a Jerusalém. Também estiveram na Cesareia, na fronteira com o Líbano, no Mar Morto e em Massada, planalto escarpado que, no início da era cristã, foi palco da resistência judaica frente à invasão romana. No deserto, dormiram em tendas beduínas e, na capital, conheceram o Museu do Holocausto.

A segunda “Marcha da Vida” da viagem aconteceu justamente em Jerusalém, onde junto com outros adolescentes, as alunas do CSI cruzaram a região até o Muro das Lamentações, numa bela demonstração de harmonia inter-religiosa.

“É muito importante deixar viva a História, para que os erros do passado não se repitam”, refletiu Ana Luisa.

A apresentação das alunas do CSI contou com a presença dos professores e alunos do Liessin que participaram da Marcha da Vida deste ano.