Memorial do Colégio Santo Inácio

Espaço é dedicado a 100 anos de memória

"Chegamos a esta Bahia a 29 dias do mês de Março de 1549. Andamos na viagem oito semanas." (Carta do padre Manoel da Nóbrega ao padre Mestre Simão Rodrigues de Azevedo, Provincial de Portugal, em 1549).

Em 29 de março de 2019, 470 anos após a chegada dos primeiros jesuítas ao Brasil, o Colégio Santo Inácio inaugura seu Memorial, um espaço dedicado à memória de seus antigos alunos e de suas histórias, retratados em medalhas, fotografias, imagens e objetos. “A importância do Memorial se dá num tempo histórico muito importante para a Companhia de Jesus Universal. Hoje, faz 470 anos que os primeiros jesuítas chegaram à atual cidade de São Salvador, na Bahia. Então, este Memorial, em conexão com toda a comunidade dos jesuítas no Brasil, é um espaço onde a Companhia de Jesus também faz memória da sua missão, da sua missão no campo educativo, e traz para a atualidade a importância de se fazer memória do trabalho realizado”, explicou padre Ponciano Petri, diretor-geral do CSI. “Para nós, jesuítas, é de uma importância muito grande este espaço, que nós oferecemos também à sociedade como um lugar onde todos possam visitar e compreender a missão da Companhia de Jesus no passado e atualmente”, completou Ponciano.

O Memorial ocupa três salas do térreo e duas salas do andar superior da Casa Joppert. O primeiro espaço, dedicado aos alunos desde a sua fundação, em 1903, até o ano do centenário, possui uma exposição com fotos e objetos relativos às memórias das turmas do Colégio. Ainda no térreo, uma sala de aula antiga foi ambientada com mobiliário, fotografias, uniformes e objetos que vão desde 1914 até 2003, quando o Santo Inácio completou 100 anos de história. O terceiro ambiente é dedicado à arte sacra, como referência à espiritualidade da instituição. No andar superior, duas salas contam a história do Colégio através de uma linha do tempo de objetos e de fotografias.

Professor de história e de história da arte do Ensino Médio do CSI e curador do Memorial do Colégio Santo Inácio, Cesar Tovar, que se debruçou na construção do local por dois anos, explica que a ideia de criar um Memorial partiu do antigo reitor, padre Monnerat, que pensava num ambiente de memória do Colégio, sobretudo reunindo materiais que a instituição possuía e também doações de antigos alunos. “Este espaço é uma realização, é um filho que nasce e que precisa ser cuidado. É um local ainda a ser pensado, a ser construído, pois se espera que um museu seja sempre algo dinâmico e não apenas uma exposição temporária. Outras exposições virão, mais interativas, com vídeos e depoimentos, um acervo de história oral necessário para um colégio centenário como esse”, disse Cesar.

História da Casa Joppert

Comprada em 1940 pelo CSI, o Palacete Eclético de Botafogo, conhecido como Casa Joppert, pertenceu à família Joppert.  Ali, começaram a funcionar as Faculdades Católicas, atual Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), ainda em 1940. Em meados da década de 1950, quando foi desocupada, a casa passou a sediar o curso primário do Colégio. Mais tarde, ocupou também a pré-escola, até a construção do prédio da Rua Eduardo Guinle, quando a casa passou a funcionar como administração até ser restaurada em 2014.

Em breve, o Memorial será aberto à visitação.