CSI cede imóvel para Programa de Atendimento a Refugiados e Solicitantes de Refúgio da Cáritas RJ

Casa recebe 36 solicitantes de refúgio e migrantes

O Colégio Santo Inácio cedeu, por um período de três anos, a Casa do Pontal, localizada no Recreio dos Bandeirantes, para a organização humanitária Cáritas do Rio de Janeiro. O imóvel, de propriedade do Colégio, possui dez quartos, cozinha, quatro banheiros e duas salas de uso comum, além de área externa com gramado, e passa a abrigar 36 solicitantes de refúgio e migrantes, entre mulheres adultas e crianças, que viviam em situação de extrema vulnerabilidade em Roraima.

Batizada de Casa de Acolhida Papa Francisco, sua administração fica por conta do Programa de Atendimento a Refugiados e Solicitantes de Refúgio (PARES) da Cáritas RJ, com o apoio da Paróquia Imaculada Conceição, também localizada no Recreio, e da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR).

Padre Ponciano Petri, diretor-geral do Colégio Santo Inácio, explica que, atenta e sensível aos desafios enfrentados por aqueles que chegam ao Rio de Janeiro devido à migração forçada, a direção do Colégio Santo Inácio iniciou em 2017 uma parceria com a Cáritas RJ a fim de contribuir com o auxílio prestado às pessoas de outros países, que passaram a viver na cidade. “As notícias sobre migrantes e refugiados ficaram cada vez mais evidentes em todos os meios de comunicação. Esse fato chamou a atenção da direção do Colégio que iniciou um ciclo de conversas e visitas e culminou com a ajuda financeira à casa de acolhida que a Cáritas Arquidiocesana já administrava e com a oferta da Casa do Pontal, que pertence ao Colégio. Ou seja: o olhar para a realidade revelou a necessidade de ajudar”, comentou padre Ponciano, acrescentando que a maior importância que a acolhida revela é a sintonia com o carisma e as orientações da Companhia de Jesus universal. Em todos os países onde há a presença dos Jesuítas, necessariamente, há também o esforço para unir recursos e pessoal para tal serviço. 

A Companhia de Jesus – Jesuítas – sempre esteve disposta a colaborar com os refugiados e migrantes. Para melhor assisti-los, foi fundado em 1980 o Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS) que tem como missão ‘Acompanhar, Servir e Defender’ os refugiados deslocados à força e todos os migrantes em situação de particular vulnerabilidade, estando atualmente presente em cerca de 50 países no mundo. No Brasil, foi fundado em 2013 o Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados – SJMR para prestar assistência nas áreas de migração laboral, educacional, regularização migratória, assessoria jurídica e incidência.

Foto: Diogo Félix (PARES Cáritas RJ)